3/05/2017

2017 9 ANO

1.Introdução a Arte

A Arte faz parte do ser humano e da sociedade desde a pré-história até os dias atuais; fez e faz parte de toda produção cultural do homem, introduz novos modos de pensar, novas relações, novos pensamentos e ideias, emoções e anseios que habitam no interior tanto do Homem como da sociedade. E, ainda capacita o indivíduo no seu modo de interpretar, compreender, representar, imaginar o mundo.
Atualmente, não há um conceito exato para o que se é Arte. Sabe-se que nosso planeta vem sofrendo modificações culturais, e, a Arte, consequentemente tem sofrido transformações. Antigamente, a beleza estava vinculada a Arte, hoje, nem sempre vimos isso. No entanto, ela não perdeu sua essência, está ligada intimamente ao Homem, em si, a Sociedade e a cultura inserida na mesma. Se olharmos a nossa volta, veremos que estamos rodeados pela Arte. Ela domina todo espaço em que vivemos, determina nosso modo de ser; o que somos individual e coletivamente.

POÉTICAS NO TERRITÓRIO DE PROCESSO DE CRIAÇÃO - APRECIAÇÃO

Marulhos – Cildo Meireles - A obra Marulho é composta de um píer de madeira que avança sobre uma sala ampla onde se encontram, sobre o chão, milhares de livros abertos que se entrelaçam ordenadamente e em cujas páginas encontram-se imagens de mares distintos. No ambiente, ecoa a edição sonora da palavra água gravada em 80 idiomas.

Cia do fuxico – A Batalha dos Encantados - No espetáculo foi encenado as aventuras do sábio adivinho Ifá (- o babalaô – aquele que lê os búzios); seu encontro com a bela deusa Euá – uma boneca feita com um longo tecido azul, usando turbante e colares em tons de vermelho e rosa, cores que representam a orixá Eua. Os personagens são responsáveis pela criação do mundo na cultura e tradição afro-brasileira. Seus relatos míticos narram histórias as quais contêm questões morais e éticas universais.

Terpsi Teatro de Dança – E la nave no va -Espetáculo inspirado na obra de Frederico Fellini, investiga a relação entre o movimento - espaço e interprete, foi apresentado dentro de um trem aéreo (aeromóvel), agora em sua versão para o palco italiano torna-se um "outro" espetáculo, possibilitando aos interpretes novos jogos cênicos. "Os personagens que se encontram para realizar um filme" rompem os limites entre o real e o imaginário e proporcionam ao público duas visões do mesmo espetáculo, através de filmagens simultâneas realizadas em cena pelos intérpretes.

Balé Da Cidade De São Paulo - Baile Na Roça: Coreografias Para Portinari - Portinari pintou festas populares de sua cidade natal no interior de São Paulo, Brodósqui. O espetáculo remonta bailes e festas de sua terra, e figurinos e os cenários do balé Iara, apresentado no Brasil em 1946 pelo Original Ballet Russe., da rainha das águas e sua luta contra o Sol da seca nordestina. A coreografa Ana Teixeira quis mostrar as mulheres fortes através de seus pés, suas mãos e costas marcantes nas telas.

Gota d’água – Bibi Ferreira - Escrita em 1975 por Chico Buarque e Paulo Pontes, faz um apelo dramático das história baseada na tragédia Medéia, de Eurípedes, e das canções compostas por Chico são os chamarizes responsáveis por essa popularização atípica para uma obra deveras recente.
ATIVIDADE AVALIATIVA
1) Faça a correspondência da segunda coluna de acordo com a primeira:
(A) Marulhos
(B) A Batalha dos Encantados
(C) E la Nave no va
(D) Baile Na Roça: Coreografias Para Portinari
(E) Gota d’água ( ) Peça teatral sobre a cultura afro-brasileira.
( ) Peça dançante inspirada nas obras de um pintor brasileiro
( ) Exposição visual que representa um grande mar com figuras de mares diversos
( ) versão de um filme italiano adaptado para o palco
( ) versão da tragédia de Medeia para uma comunidade carioca.
2) as obras abaixo que Saberes Culturais podem ser observados:
a) Marulhos: _______
b) A Batalha dos Encantados:____
c) Baile Na Roça: Coreografias Para Portinari:__
d) Gota d’água:____
e) Águas de Março:_____
3) Marulho, A Batalha dos Encantados tem um tema em comum. Qual é o tema?

9. Ano – Uma Conversa Sobre A Materialidade Nas Linguagens Artísticas

Apreciação
A obra de Magritte e Nuno Ramos, vemos a chuva co o ameria da arte, resignificando e provocando novas sensações e pensamentos.

Situação De Aprendizagem Dança

Samwaad – Rua do Encontro - o espetáculo proporciona os conhecimentos multiculturais, apresentando vários ritmos e gêneros musicais, originários de várias culturas. A música é baseada em escrituras sagradas do hinduísmo que fala sobre iluminação e entendimento. O timbre do tamborim dialoga com a citara indiana, o samba dialoga com o odissi. Os elementos de várias culturas: samba, choro, dança de rua, capoeira, bharata natyan, dança afro e os clássicos acordes indianos em uma fusão espetacular, garantem o a harmonia de corpos de diferentes vivências, trajetórias e identidades. O nome “Samwaad” em hindu significa harmonia, característica foi garantida e, também apreciada pelo seu público no decorrer de todo o espetáculo.
Na dança vimos a variação de movimentos acrescido com uma temática integram a coreografia que é praticada sob um ritmo de terminada musica, efeitos sonoros ou do silencio. Corpo, voz, gesto, texto, ação, cenário, figurino, musica, luz são elementos da linguagem teatral, causando múltiplas possibilidades interpretativas em cada obra.

Situação De Aprendizagem Artes Visuais
Na curadoria da obra dos artistas Nuno Ramos, Vik Muniz e Leda Catunda percebemos a diversidade de materiais e modalidades que usaram,  de suportes,
 Ferramentas e procedimentos. A visualidade sobre a composição, espaço, escala bi e tridimensionalidade, a relação figura/fundo,  cheio/vazio, dentro/fora, aberto/fechado, dão varia possibilidades nas temáticas.







2017 7 ANO

1.Introdução a Arte

A Arte faz parte do ser humano e da sociedade desde a pré-história até os dias atuais; fez e faz parte de toda produção cultural do homem, introduz novos modos de pensar, novas relações, novos pensamentos e ideias, emoções e anseios que habitam no interior tanto do Homem como da sociedade. E, ainda capacita o indivíduo no seu modo de interpretar, compreender, representar, imaginar o mundo.
Atualmente, não há um conceito exato para o que se é Arte. Sabe-se que nosso planeta vem sofrendo modificações culturais, e, a Arte, consequentemente tem sofrido transformações. Antigamente, a beleza estava vinculada a Arte, hoje, nem sempre vimos isso. No entanto, ela não perdeu sua essência, está ligada intimamente ao Homem, em si, a Sociedade e a cultura inserida na mesma. Se olharmos a nossa volta, veremos que estamos rodeados pela Arte. Ela domina todo espaço em que vivemos, determina nosso modo de ser; o que somos individual e coletivamente.

DESENHO

Desde o início da humanidade o homem desenha.
Todo desenho tem como elementos comuns: a forma, o ponto a linha e o plano. Além dos elementos básicos, fatores como espaço, perspectiva, volume, equilíbrio, direção e movimento também devem ser levados em conta ao desenhar.
Regras importantes no desenho
Enquadramento no papel –a escolha o formato do papel “paisagem ou retrato”, além da centralização do desenho no papel.

Linha do Horizonte – LH –linha pensada definida a partir do ponto de vista do observador
Pontos de Fuga – PF -Pontos localizados na linha do horizonte, na grande maioria das vezes. Linhas paralelas no mundo real devem concorrer para o mesmo ponto de fuga no seu desenho.

Luz e Sombra – a projeção da luz sobre o objeto é perceptível ao nosso olhar, através da sombra que essa luz projeta, dando-lhe volumetria ao desenho.

Verticalidade – referenciado ao mundo real, as linhas verticais devem ser usadas nos desenhos.


Profundidade- os pontos de fuga, textura, luz e sombra são formas de se dar volume ao desenho.- objetos idênticos parecem diminuir de tamanho à medida que se afastam do seu olho de observador.

Textura – tratamento gráfico dado ao plano que dá elegância e enfatiza a perspectiva - Tramas gráficas


Proporção – deve-se verificar as proporções do que se desenha, como aspecto essencial, respeitando a ilusão de profundidade, as dimensões do desenho e outros objetos que compõe o desenho.

REGRAS IMPORTANTES NO
DESENHO DE OBSERVAÇÃO - INTRODUÇÃO A PERPECTIVA





Enquadramento no papel
O tamanho do desenho em relação ao papel deve ser apropriado. Escolha o formato “paisagem ou retrato” que melhor se ajuste ao modelo a ser desenhado (vertical ou horizontal?) A centralização do desenho no papel também é muito importante.
Linha do Horizonte - LH
Todo desenho deve ter uma linha do horizonte pensada ou aparente. A linha do horizonte define o ponto de vista do observador (altura dos olhos). Em desenho de perspectiva, a LH é fundamental.
Pontos de Fuga - PF
O desenho em perspectiva pode ter 1 ponto, 2 pontos, 3 pontos (sendo um vertical) ou múltiplos pontos. Estes pontos devem estar localizados na linha do horizonte, na grande maioria das vezes.Linhas paralelas no mundo real devem concorrer para o mesmo ponto de fuga no seu desenho
 

Luz e Sombra
O nosso olho percebe fundamentalmente a luz (e por conseqüência as sombras que a luz projeta). A luz e sombra (ou claro-escuro) é fundamental para a beleza e volumetria desejada no desenho
Textura
O mundo real é feito de texturas. O desenho a lápis exige um tratamento gráfico de superfície e planos A textura deve ser trabalhada para tornar o desenho mais elegante e pode enfatizar a perspectiva.
Verticalidade
As linhas verticais do mundo real devem ser verticais no seu desenho. Use a margem vertical do papel como referencia. (com exceção dos desenhos com ponto de fuga vertical
Proporção
Aspecto essencial no desenho, saber observar as proporções daquilo que se desenha. Um cubo, por exemplo tem a proporção de 1;1;1. Ou seja, ao desenhar o cubo, ele deveria parecer ter as faces iguais (respeitando logicamente a ilusão da profundidade, que faz com que arestas mais afastadas parecerem menores do que as que estão mais perto de você)
Profundidade
O desenho deve apresentar profundidade de campo na perspectiva (o oposto da perspectiva cavaleira ou axonometrica, inaceitável em D.O.) Pontos de fuga, textura, luz e sombra são formas de se obter profundidade no desenho. Lembre-se de que objetos idênticos parecem diminuir de tamanho à medida que se afastam do seu olho de observador.





7. º ano- Apostila 1 – O Desenho e a Potencialidade do Registro no Território das Linguagens Artísticas
Situação de Aprendizagem – Artes Visuais
O desenho pode ter, como ponto de partida, vários enfoques. Há os que reproduzem o mundo real, outros que revelam a memória do seu autor e ainda os que são propostas originais de novas formas. Vejamos sobre cada uma dessas facetas nos três tópicos a seguir:
a) Desenho de observação: É a representação, na maioria das vezes figurativa, a partir da observação de um modelo se propondo a transferir para o papel de desenho sua forma, textura, iluminação, cor, etc., com auxílio de instrumentos de mensuração visual a distância ou medidas e cálculos mentais por meio da observação direta.
b) Desenho de memória: Representação gráfica que se espelha na forma de elementos da realidade visualizada anteriormente.
c) Desenho de criação: Apresenta configuração original. Pode ser obra da pura imaginação, abstração ou o resultado da combinação de outras formas já existentes, inspiradas nos elementos da realidade.
Observe os desenhos da apostila:
Edith Derdyk , em sua obra há uma diferença entre linhas no papel e no espaço, é um esboço onde se vivencia o estudo d processo de criação do artista.
Marco Buti – suas obras se assemelham a produção de gravuras
A arte rupestre consistia em pinturas e desenhos gravados em paredes e tetos das cavernas. O homem pré-histórico usava ossos de animais, cerâmicas e pedras como pincéis, além de fabricar suas próprias tinturas através de folhas de árvores, sangue de animais e excrementos humanos.

Situação de Aprendizagem – Teatro
Serroni criou um cenário com estrutura móvel que sobe e desce conforme a cena, com iluminação, filmes e imagens que possam ser projetados ao fundo.
Fabio Namatame fez um croqui da personagem de modo a destacar as suas características, o chapéu é um detalhe importante quanto a sua personalidade, não se trata de um desenho de moda e sim de um figurinista.

Situação de aprendizagem – Dança
Samwaad – Rua do Encontro - o espetáculo proporciona os conhecimentos multiculturais, apresentando vários ritmos e gêneros musicais, originários de várias culturas. A música é baseada em escrituras sagradas do hinduísmo que fala sobre iluminação e entendimento. O timbre do tamborim dialoga com a citara indiana, o samba dialoga com o odissi. Os elementos de várias culturas: samba, choro, dança de rua, capoeira, bharata natyan, dança afro e os clássicos acordes indianos em uma fusão espetacular, garantem o a harmonia de corpos de diferentes vivências, trajetórias e identidades. O nome “Samwaad” em hindu significa harmonia, característica foi garantida e, também apreciada pelo seu público no decorrer de todo o espetáculo.

2017 6 ANO

1.Introdução a Arte

A Arte faz parte do ser humano e da sociedade desde a pré-história até os dias atuais; fez e faz parte de toda produção cultural do homem, introduz novos modos de pensar, novas relações, novos pensamentos e ideias, emoções e anseios que habitam no interior tanto do Homem como da sociedade. E, ainda capacita o indivíduo no seu modo de interpretar, compreender, representar, imaginar o mundo.
Atualmente, não há um conceito exato para o que se é Arte. Sabe-se que nosso planeta vem sofrendo modificações culturais, e, a Arte, consequentemente tem sofrido transformações. Antigamente, a beleza estava vinculada a Arte, hoje, nem sempre vimos isso. No entanto, ela não perdeu sua essência, está ligada intimamente ao Homem, em si, a Sociedade e a cultura inserida na mesma. Se olharmos a nossa volta, veremos que estamos rodeados pela Arte. Ela domina todo espaço em que vivemos, determina nosso modo de ser; o que somos individual e coletivamente.

BIDIMENSIONALIDADE

Desde o berço da humanidade o ser humano tem procurado modos de registrar sua imaginação ou realidade através do uso de imagens – desenhos, pinturas, fotografias, vídeos, em suportes diferentes e modos de mediações diversificadas em publicações gráficas como os jornais, as revistas, os livros, os outdoors, os panfletos, entre outras.
Na maioria desses registros se dá de forma bidimensional, ou seja, estabelecem numa superfície plana aspectos do mundo tridimensionais, simplificando nas dimensões de comprimento e largura, sejam nas formas figurativas ou abstratas.
Esse tipo de representação acontece com o uso de elementos fundamentais das artes visuais como:
• Ponto
• Linhas : Agrupamento de pontos muito proximos, e sequencia ordenada causando ilusão de direcionamento, podendo ser quanto:
• à espessura, (fina ou grossa);
• à forma (reta, sinuosa, quebrada ou mista);
• ao traçado (cheia, tracejada, pontilhada, traço e ponto, etc) e;
• à posição (horizontal, vertical ou inclinada).
• Forma : É o conjunto de linhas dá um sentido de orientação espacial e de reconhecimento da imagem representada. As formas podem se dividir em dois grandes grupos:
• Geométricas: figuras ordenadas perfeitamente (formas básicas, polígonos, etc), não tão facilmente reconhecidos na natureza no seu estado mais puro;
• Orgânicas: formas ordenadas ou aleatórias em estruturas não geométricas, observadas principalmente na natureza, daí o seu nome (asa de inseto, folha de árvore, curso e ramificações de um rio etc).
• Plano: é o espaço determinado onde representamos o objeto, é praticamente o suporte, que pode ser uma folha de papel.

6.º ano- Apostila 1- A Tridimensionalidade como Elemento Estético

Vivemos, de fato, em um mundo tridimensional. O que vemos à nossa frente não é uma imagem plana, tendo somente comprimento e largura, mas um espaço com profundidade física, a terceira dimensão. Qualquer objeto pequeno, leve e próximo pode ser pego e girado em nossas mãos. Cada movimento do objeto mostra um formato diferente porque a relação o objeto e nossos olhos foi modificada. È na mente humana que o mundo tridimensional ganham seu significado.As dimensões primárias são: comprimento, largura e profundidade. E possuí também: cor,textura, ponto, linha, direção, posição, contrastes...
No Teatro e Dança, o corpo é o objeto principal da tridimensionalidade.  
Nas Artes Visuais, temos a Escultura como objeto tridimensional com alguma forma definida. Há vários modos de se esculpir:
1.Entalhe : esculpir com talhos, ou seja a peça é feita através de cortes e raspagem de um material semi-rígido. A madeira, na escola pode ser com sabão. .  
2.Modelagem : feita com material maleável,flexível e macio e normalmente de fácil manuseio é possível remover, adicionar, modelar.
 A argila, Assim como outros materiais artísticos usada desde a pré-história como material para a modelagem .
As  massas  de modelar podem ser feitas em casa: mistura de quatro xícaras de farinha de trigo, uma xícara de sal, uma e meia xícara de água e uma colher de chá de óleo.  As cores podem ser obtidas com as anilinas coloridas.
Papel machê- feito em casa, o papel higiênico  deve ter ficado de molho em água até dissolver e ser escorrido com a ajuda de um pano. Colocar o fungicida(vinagre) e acrescentar, aos poucos, uma porção de farinha de trigo e uma de Cola branca, além de um pouco de água, conforme a consistência da massa desejada.
Empapelamento - Consiste  no  uso  de   camadas  de  papel, entremeados por cola, para a produção de uma superfície resistente, com a forma desejada.
Gesso - gesso é um material de coloração branca e de secagem muito rápida, mas que necessita de uma forma para ser moldado, suporta vários tipos de pintura ou colagem.

3.Construção – junção de pedaços e objetos aleatórios para se construir outras formas. Normalmente é usado materiais recicláveis como o metal, plástico,papel ou papelão,vidro, ou outros materiais que a criatividade consegue alcançar. 

Apreciação Teatro – Cenografia Contemporânea
Tablado de Arruar- Teatro de rua, abordando a relação de poderes o processo de construção dos centros empresariais. Na peça há um empresário e uma moradora de rua. O cenário é composto por um caminhão adaptado, figurinos, adereços e sonoplastias ao vivo de canções e músicas. O grupo foi fundando em 2011, com o propósito de pesquisar e apresentar o teatro de rua e uma oficina.
Oficina Uzyna – o conceito de teatro de rua, de passagem, de passarela está presente. O espaço é totalmente transparente em todos os ambientes, compondo um espaço cênico unificado. Todo o espaço é cênico, há flexibilidade de uso- plateia é o palco, o palco é plateia. Atores, técnicos, público, equipamentos, objetos da sena ou não, fazem parte do espetáculo. Todos participam da cena.

Apreciação Dança – Oskar Schlemmer, pintor e escultor alemão, que realizou experiências com tridimensionalidade e formas geométricas em seus trabalhos. Criou em 1922 o Balé Triadico, no qual dançarinos usavam figurinos especiais e dançavam sobre planos definidos. Seus figurinos extraiam novas possibilidades perceptivas do corpo do ator-dançarino. Máscaras e aparatos de cena muitas vezes constrangiam o livre movimento, exigindo novas posturas diante da atuação e do corpo.




ESCULTURAS – MATERIALIDADE

A escultura é a técnica de representar objetos e seres através da reprodução de formas.
Imagem relacionada Pré-história – esculpia-s o sílex – tipo de pedra- com um instrumento cortante que abatia a caça e cortava madeira; Mais tarde usaram o metal esculpido pela modelagem. A escultura na Pré-História foi associada à magia e à religião, com o objetivo era moldar animais e figuras humanas, geralmente femininas. Os gêneros desenvolvidos foram a estatueta e a gravação, tanto em pedras calcárias quanto em argila ou madeira queimada.As figuras femininas foram mais numerosas, sem dúvida devido à sua clara relação com o culto à fecundidade.
Os utensílios utilizados na tarefa de modelagem eram de pedra, sendo muitos deles decorados com asas modeladas como se fossem estatuetas. Todos os objetos encontrados, a maior parte pertencente ao período paleolítico (25000 a.C. - 8000 a.C.) Entre elas, está a Vênus de Willendorf, na Áustria. 
 
Antiguidade – No Egito, o uso de pedras/granitos variadas (os),eram usados para fazer amuletos, estátuas. Além disso, os afrescos mostram como se esculpiam as esfingesAs ferramentas usadas eram os cinzéis, clava e enxó. Na Mesopotâmia a pedra era rara, por isso, produziam estátuas de pequeno porte. Na China, Japão e Índia, trabalhavam sobre a pedra, o jade, o marfim e o bronze moldadas ou modeladas, cozidas em fogo eram depois pintadas. Entre os temas estava os animais. Na África,  a madeira vede auxiliado com um enxó,   uma espécie de colher, folhas de arvores, são usadas para identifica as esculturas sacras africanas. Os esquimós faziam misturas de materiais como estofo, ráfia, metal e barro eram usados nas suas esculturas, instrumentadas por  pregos,  mascaras e estátuas representava o ema religioso.

Idade Média – movidos pelo cristianismo, após talhar a pedra, seguindo traços de giz. O trabalho demorava anos para ser concluído. Após a pintura pintava-se  e usava-se muito dourados temas como gárgulas, capitéis e cumeeiras eram frequentemente adornados com criaturas fantásticas. O Pré-colombiano é bem representado pela argila, as cerâmicas ganham consistência após o cozimento, entre os temas estão as máscaras severas. O México contrastava com a anterior, as máscaras são representadas de figuras sorridentes, isto já num período de transição.
Resultado de imagem para o pensadorRenascença – Michelângelo, pintor, arquiteto e poeta, esculpiu peças que estão hoje na Capela Sistina, sobre mármore, exemplo Davi. As ferramentas dele forma adaptadas, com um pioneiro, ele fez os sulcos, com um cinzel, estrias mais finas, com um grandim com efeito mais granuloso,  com um buril chato,  uma superfície mais lisa.  Rodin – Modelava argila, fazia moldes em gesso sob a argila, e desbastar a colocar o mármore. Finalizava dando a peça jogos de sombras e de luzes. Resultado de imagem para esculturas do renascimento davi


Idade Moderna – a técnica de Rodin era muito difundida, foram substituindo o mármore pelo bronze e depois submetia a pátina. Degas, depois desenvolver vários desenhos de uma menina de 14 anos, fez uma maquete usando uma mistura de cera de abelha, banha de poço e amido sobre uma estrutura de arame após a modelagem, pintou – a colocou pelos do rabo de cavalo  e vestiu-a com u tutu (saiote de bailarina. A inovação serviu de criticas impiedosas. Neste período a materialidade  africana, americana e da Oceania  foram importantes para dar autenticidade a produção moderna, não apenas nas esculturas. 



Resultado de imagem para esculturas do renascimento daviIdade Contemporânea – Do cimento, madeira, pregadores, papel plástico, conchas, sucatas industrial, o artista do século XX utiliza os mais simples materiais para produzir suas obras.